Sergipe tem o terceiro maior índice de desemprego em todo o país

Por Portal Sergipano em 12/08/2022 às 20:36:38

Conforme os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua) Trimestral, divulgada hoje (12) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), Sergipe apresenta o terceiro maior indice de desemprego em todo o país, com 12,7%. É o mesmo percentual da Região Nordeste como um todo, a que lidera o percentual de desocupação entre as cinco do Brasil.

À frente de Sergipe, no ranking de desemprego nos estados, constam apenas a Bahia (15,5%), seguida de Pernambuco (13,6%). Os menores índices estão em Santa Catarina (3,9%), no Mato Grosso (4,4%) e no Mato Grosso do Sul (5,2%). Registraram estabilidade na taxa o Distrito Federal, Amapá, Ceará, Mato Grosso e Rondônia.

Porém, ainda conforme a Pnad Contínua, a taxa de desemprego caiu em 22 das 27 unidades da federação no 2º trimestre, na comparação com os 3 primeiros meses do ano.

O maior recuo no trimestre foi registrado no estado de Tocantins, com menos 3,8 pontos percentuais. Pernambuco caiu 3,5 pontos percentual e Alagoas, Pará, Piauí e Acre também se destacaram, todos com quedas de cerca de 3 pontos.

A taxa de desocupação em Sergipe no segundo trimestre de 2022, de 12,7%, diminuiu em relação ao trimestre anterior (14,9%) e, mais ainda, se comparada ao segundo trimestre de 2021, quando marcou 19,3% - uma queda de 6,6p.p entre os dois períodos.

A taxa de desocupação nacional no segundo trimestre de 2022 ficou em 9,3%. No trimestre anterior, o índice nacional estava em 11,1% e no mesmo trimestre do ano passado, o desemprego era de 14,2%.

Informalidade

A taxa de informalidade ficou em 40% da população ocupada, com 39,3 milhões de pessoas. Houve aumento em números absolutos na comparação trimestral (38,2 milhões) e na anual (35,7 milhões), mas estabilidade na análise percentual, devido à expansão da população ocupada.

Os trabalhadores por conta própria são 26,2% da população ocupada do país e a taxa composta de subutilização da força de trabalho foi de 21,2%.

Entre as pessoas desocupadas, 42,5% estão procurando trabalho entre um mês a menos de um ano e 29,5% procuram por dois anos ou mais. O país tem 4,3 milhões de pessoas desalentadas, o que corresponde a 3,8% da força de trabalho.

A formalidade no trimestre atingiu 73,3% dos empregados do setor privado, queda em relação aos 74,1% do trimestre anterior e também na comparação com os 75,2% do segundo trimestre de 2021. Por estado, a formalidade vai de 46,6% dos trabalhadores do Piauí a 87,4% dos de Santa Catarina.

Comunicar erro
Banese

Comentários

Unit